História


   O clima fora da casa onde Ben Gurion estava, pouco antes da declaração foi alegre:


   "Os judeus da Palestina... estavam dançando porque estavam prestes a perceber o que foi uma das realizações mais notáveis ​​e inspiradoras da história da humanidade: um povo que havia sido exilado de sua terra natal dois mil anos antes, que havia sofrido incontáveis ​​pogroms, expulsões e perseguições, mas que se recusaram a abrir mão de sua identidade que, ao contrário, reforçou substancialmente essa identidade; um povo que poucos anos antes havia sido vítima do maior ato de assassinato em massa da humanidade, matando um terço dos judeus do mundo, estas pessoas estavam voltando para casa como cidadãos soberanos em seu próprio estado independente." ( Oren, Michael B. "Ben-Gurion and the Return to Jewish Power." New Essays on Zionism. Ed. Hazony, - Jerusalem: Shalem Press, 2006.)


   A independência foi declarada oito horas antes do final do Mandato Britânico da Palestina, que deveria terminar em 15 de maio de 1948.


   Declaração do Estado de Israel


   O parágrafo dispositivo da Declaração do Estabelecimento de Estado de Israel de 14 de maio de 1948 expressa a declaração como sendo em virtude de nosso direito natural e histórico e com base na resolução da Assembléia Geral das Nações Unidas. O parágrafo conclui com as palavras de Ben Gurion, onde ele declara assim, o estabelecimento de um estado judeu em Eretz Israel, para ser conhecido como o Estado de Israel.

   O novo estado foi rapidamente reconhecido pelos Estados Unidos, a União Soviética, e muitos outros países, mas não pelos estados árabes vizinhos, que marcharam com as suas tropas para a área do antigo mandato britânico.


   Véspera do Dia da Independência


   Uma cerimônia oficial é realizada todos os anos no Monte Herzl, em Jerusalém, na noite do Dia da Independência. A cerimónia inclui um discurso do orador do Parlamento israelense (A Knesset), performances artísticas, Bandeiras de Israel, simbolos judaicos como a Menorah, e a iluminação cerimonial de doze tochas, uma para cada uma das Tribos de Israel. Todos os anos, uma dúzia de cidadãos israelenses, que fizeram uma contribuição social significativa em uma área selecionada, são convidados a acender as tochas. Muitas cidades realizam apresentações ao ar livre nas praças das cidades, apresentando os principais cantores israelenses, danças e fogos de artifício. Ruas ao redor das praças são fechadas para carros, permitindo que as pessoas circulem livremente nas ruas. 


   O Dia da Independência


   Eventos diversos acontecem neste dia.


      · Recepção do Presidente de Israel para honrar a excelência de120 soldados do Forças de            Defesa Israelense. O evento acontece na residência oficial do presidente em Jerusalém. 

     · Concurso Internacional da Bíblia em Jerusalém. 

     · Cerimônia do Prêmio Israel em Jerusalém. 

      · As Forças de Defesa de Israel abrem algumas de suas bases para o público. 

     · Festival da Canção Israelita 

     · Desfile das Forças de Defesa de Israel é realizado neste dia.


   As famílias israelenses tradicionalmente celebram com piqueniques e churrascos. Varandas são decoradas com bandeiras, e pequenas bandeiras são colocadas nas janelas dos carros. Alguns deixam as bandeiras içadas até depois de Yom Yerushalayim. Os canais de televisão israelenses exibem ao vivo os eventos oficiais, e são exibidos também, filmes clássicos israelenses.


   “ Quem já ouviu falar de uma coisa assim? Quem já viu isso acontecer? Pois será que um país pode nascer num dia só? Uma nação aparece assim num instante? Mas foi isto mesmo que aconteceu com Sião: assim que sentiu dores de parto, ela deu à luz os seus filhos”. Isaías 66:8


   Chag Ha Atzmaut Sameach! Feliz Dia da Independência!