Vale de Jezreel

  

    O vale de Jezreel, também chamado planície de Esdrelão (Esdraelon), é um vale localizado no sul da região da Galileia, norte de Israel. É uma planície verde fértil coberta de campos de trigo, melancia, melão, laranjas, feijão branco, feijão-frade, grão-de-bico, feijão verde, algodão, girassol e milho, assim como pastagens para multidões de ovelhas e gado. A área é governada pelo Conselho Regional do Vale de Jezreel. 


    O Colégio Max Stern de Emek Yizreel e o Centro Médico Emek estão localizados no vale. Em 2006, o Ministério dos Transportes de Israel e o Conselho Regional do Vale de Jezreel anunciaram planos para construir um aeroporto internacional perto de Megiddo, mas o projeto foi arquivado devido a objeções ambientais.


    O nome é citado na Bíblia Hebraica por 32 vezes JEZREEL vem do hebraico יזרעאל ,com significado ainda desconhecido, mas que para muitos estudiosos significa “Deus semeia” ou "semente de Deus“. Jezreel lembra as promessas do nascimento de um novo povo, a partir da semeadura de Deus, conforme as profecias de Oséias: “Eu a semearei para mim na terra...” (Oséias 2:24-25). O dia que ocorrerá isto se chamará o “dia de Jezreel”: “Os filhos de Judá e os filhos de Israel se reunirão, constituirão para si um único chefe e se levantarão 

  

    O nome é citado na Bíblia Hebraica por 32 vezes JEZREEL vem do hebraico יזרעאל ,com significado ainda desconhecido, mas que para muitos estudiosos significa “Deus semeia” ou "semente de Deus“. Jezreel lembra as promessas do nascimento de um novo povo, a partir da semeadura de Deus, conforme as profecias de Oséias: “Eu a semearei para mim na terra...” (Oséias 2:24-25). O dia que ocorrerá isto se chamará o “dia de Jezreel”: “Os filhos de Judá e os filhos de Israel se reunirão, constituirão para si um único chefe e se levantarão.


    As primeiras referências históricas datam dos séculos XV e XIII a.C., quando aconteceram respectivamente as guerras de Megiddo e Kadesh, onde os exércitos do Antigo Egito dos faraós tentaram subjugar os cananeus.


    No periodo bíblico, as tribos de Aser, Zebulom e Isaccar detiveram o domínio do vale, a primeira na parte litorânea, a segunda no centro e a terceira na região que chega até o rio Jordão.

Neste vale, arqueólogos escavaram as ruínas das cidades-reinos conquistadas por Israel nos dias de Josué: Taanaque, Megido, Jocneão e possivelmente Quedes.  

  

    No final do período do Segundo Templo, Flavio Josefo se refere ao Vale do Jezreel em seus escritos como uma "Grande Planície". Foto de Flavio Josefo

Por ser local estratégico, de passagem de mercadores e viajantes que cruzavam essa região histórica, era comunicação por terra entre o Egito e a Mesopotâmia, o Caminho do Mar ou chamado também de Via Maris.


    O vale de Jezreel foi palco de inúmeras batalhas, como por exemplo Saul e os filisteus, Gideão e os midianitas e a de Ain Jalut, não longe do monte Gilboa, em 1260. Nessa batalha sangrenta, os mamelucos lutaram contra os mongóis, que estavam a planejar invadir o Egito.


    Depois da Primeira Guerra Mundial, os ingleses tomaram o controle da área. Até 1949, porém, a maioria das terras da região ainda estava em mãos de árabes, e muitos deles fugiram durante o conflito árabe-israelense, e hoje o vale de Jezreel é uma área predominantemente judaica. 

  

    Os judeus começaram a chegar em massa no começo dos anos 20, e fundaram inúmeros kibutzim (fazendas cooperativas) e moshavim (comunidade rural), inclusive Nahalal, o moshav, mais antigo, que foi criado em 1921, e que está no local mencionado na Biblia em Josué 21.35.